Estudo de Caso III – Conclusão

Finalizamos nosso estudo de caso III, com este aprendizado já é possível fazermos uma performance inicial no postgresql, é claro que isso não é a única coisa que pode ser feita, como cada banco tem sua particularidade, toda alteração deve ser testada e acompanhada. Lembrando que dentro do postgresql.conf existem outros diversos parâmetros para configuração, mas os mais importantes foram mostrados em post’s anteriores. Futuramente irei demonstrar um exemplo prático desse nosso estudo de caso, usando ferramentes para bechmark, e sem a necessidade de alteração no hardware.

Próximo Post

Falaremos sobre hardware e sobre monitoramento pontual do nosso banco de dados, usaremos ferramentes como:

  • top
  • free
  • ps
  • vmstat
  • iostat
  • iotop

Conhecer as principais ferramentas de monitoramento pontual e suas métricas é fundamental para realizar ajustes finos e detectar gargalos. Iremos falar sobre ferramentas a nível de S.O. para determinar consumo de recursos e ferramentas para o PostgreSQL. Então até o próximo post.